Site Meter Três e eu: 01/03/12 - 01/04/12

7 de março de 2012

Só pra contrariar...

Crianças adoram contrariar. Logo pela manhã, Fabrício resolveu que não queria mais festa junina, mas festa de futebol - e o menino é realmente louco pelo esporte. Adora a ponto de trocar um canal de desenho por um de jogo, de querer ir todo santo dia de chuteira e camisa de time pra escola (sendo que ele só tem 4 pra 5 dias, pense no meu sufoco!), de jogar "futebol sem bola" com o irmão dentro de casa. Acontece que a festa de futebol do Thierry foi há um ano e meio, ainda tá muito recente pra mim e eu nunca quis repetir tema. Mas o problema maior é que, como disse ontem, EU já me empolguei com a festa junina!!! E não vou sossegar se não puder fazer os doces que estou inventando aqui na minha caixola! Tentei negociar, disse que o aniversário de 7 anos dele vai ser bem pertinho da Copa do Mundo aqui no Brasil, que a gente pode fazer uma festa de futebol ou de Brasil, que vai ser mais legal, que a festa de futebol do Thierry também foi a de 7 anos, etc. Nada disso adiantou e ele até emburrou um pouco. Dez minutos depois eu pensei que poderia fazer um bolo bem grande pra escola, em formato de campo, como foi o do Thierry, e continuar com a minha querida festa junina em casa. O menino aceitou. E a mãe vai dormir mais feliz hoje! :)

6 de março de 2012

Setembro é logo ali!

E aí que a festa do Fá tá decidida mesmo e pronto. E eu aqui na minha cabecinha pensando nas comidas e tendo ideias malucas - ainda em dúvida entre uma roça mais "chique" ou uma roça normal, mas com comidas típicas diferentes. Tô acostumada com festa junina onde cada um leva um prato, e são sempre os mesmos, paçoquinha e pé de moleque industrializados, bolo seco de padaria, aquelas marias-mole horrorosas, enfim. Não quero nada disso. Quero que a comida tenha a ver com tudo isso, mas que seja diferente dessas coisas que a gente come em qualquer festa junina da esquina. Só que também não quero quebrar minha cabeça com a decoração, essa parte quero fazer bem tradicional mesmo (e, se possível, vou até comprar bandeirinhas prontas pra não ter que fazer). É claro que um mínimo de coisas eu vou fazer, mas tudo bem com cara de festa junina e não de fazenda (onde poderia incrementar mais), já que o primeiro aniversário dele já foi de fazendinha (né, Andreia? ♥). E quero usar vestido, bota, maria chiquinha e pintinhas na cara. Mas aí tenho medo do tradicional não combinar muito bem com o estilo de comidas que eu gostaria de fazer. Pra vocês terem uma ideia, esses dias, vendo receitas de festa junina no "Brasil no Prato", do Bem Simples, pensei em fazer cheesecake de amendoim praliné e caramelo. Vai vendo o grau da viagem da pessoa. Mas isso é um conflito interno que vou ter que resolver - ou não, porque acho que vou acabar é deixando assim mesmo, uma decoração tradicional e uma culinária diferente. Na verdade, não ligo tanto assim pra isso. Tô só pirando nos sabores e acho isso tão divertido que vocês não têm ideia! E, como bem lembrou minha amiga Keylla, Fabrício vai poder realizar o sonho dele de festa junina com Super-Homem, já que Clark Kent foi criado na roça, hahahaha! Esse menino é mais avançado que eu, tô falando!

Mas aí que eu vim aqui não foi pra falar nada disso (cês reclamam que eu não posto? Ta aí, eu começo a falar e não paro mais, oras!). É que, mesmo ainda não tendo decidido muita coisa sobre o aniversário do Fabrício, eu acabei de ver as primeiras fotos de ideias pro aniversário do Thierry - cuja festa será só em setembro!!! Quando comecei a perguntar pro Fá qual seria a festa dele, o irmão já começou a pensar na dele também (claro que eu já esperava por isso). Falei que ele poderia ficar totalmente livre pra escolher o tema, porque eu gostei de fazer a do Kick Buttowski e faria outra do zero novamente. Ele adorou e decidiu, sem que eu desse nenhum palpite, que será do Club Penguin - um site de jogos da Disney, feito especialmente para crianças, que ele e todos os amigos adoram. Só que eu resolvi começar a espiar fotos do Google. E pensei que não ia encontrar quase nada. Me enganei. E me apaixonei. Se ele mudar o tema, eu me mato!

Eu não sei porque, mas hoje acordei pensando "nele" e em como as coisas teriam sido. Será que ele teria os cabelos brancos que desejou e que nunca vieram? Como será que ele seria com os netos que também desejou tanto, mas que não teve tempo de conhecer? Será que ele teria largado aquela porcaria de cigarro? Será que estaria feliz, saudável? Será que sentiria orgulho de mim? Será que responderia às besteiras que escrevo no Facebook? Foram muitos "serás"...

Só sei que quando eu vejo fotos dos meus tios enfileirados, bonitinhos, e ele não está lá, dói muito. Essa é a única certeza que eu tenho.

Saudade, pai!



2 de março de 2012

Super-caipira???

E aí que parece que é em março que realmente o ano começa a "andar". Ontem, logo no primeiro dia dele, já resolvi algumas pendências. Terminei de cadastrar os certificados que eu precisava pro nosso plano de carreira que será este mês, fiz o cartaz para divulgar meus Ovos de Páscoa de Colher (ficou bonitinho!), "meio que" resolvemos não fazer a festa de aniversário de casamento (e seguir a sugestão da Amiga de fazer uma viagem a dois) e Fabrício definitivamente decidiu que em seu aniversário teremos uma "festa junina" mesmo. Só que o menino cismou que não quer se vertir de caipira, mas de "super-herói que vai salvar a festa dos caipiras" (palavras dele!!!). Eu insisto se ele não prefere, então, uma festa de super-herói, faço do Super-Homem e ele pode colocar a fantasia, mas ele fica bravo e diz que não, que quer uma festa junina!!! Juro que cheguei a pensar num Super-Homem de chapéu de palha e camisa xadrez, mas também não serve. Tá bom, então! A festa é sua, faço como você quiser! Vai ver, tá querendo ser a estrela da festa de uma maneira meio inusitada, mas esse é mesmo o "jeito Fabrício de ser". Lógico que minha cabecinha fica divagando, estou querendo brincar de René Velmont (personagem do Dalton Vigh em Fina Estampa) e fazer "uma releitura" dos pratos típicos de festa junina - acho chique isso, "releitura", hahaha! Porque paçoquinha e pé-de-moleque, pura e simplesmente assim, a gente já come em qualquer festa junina que encontrar, né? Meu problema agora passou a ser a data da festa. Tudo planejado pra ser dia 09 de junho, 3 semanas após o aniversário dele, e um feriado prolongado. Mas, nesse dia, acontecerá um grande encontro da nossa família (incluindo as ramificações que ainda não se conhecem) em Belo Horizonte e minha mãe já confirmou presença representando meu pai, então não poderá vir à festa. Eu também morro de vontade de ir conhecer "as parentada tudo", rever tios e primos, conhecer primos distantes (e aproveitar a viagem pra encontrar cazamiga), mas acho que não vou conseguir (pobre, sacumé...). Some-se a isto o risco de vários convidados estarem viajando no dia e não aparecerem. Mas, pra mim, o fato de ter um feriado dois dias antes da festa ainda é muito importante - porque a papelaria da festa eu posso preparar meses antes, com calma, mas os perecíveis não... E o cardápio da festa depende de quanto tempo terei pra preparar, o que posso congelar, etc. Uma coisa sempre muito ligada à outra. Ainda tenho que pesar tudo. Enfim, 3 meses pode ser muito ou pouco. Depende do jeito que a gente vê.